Alagoas registra municípios que estão há seis meses sem crimes violentos letais

Trabalhos conjuntos contabilizam 63 dias sem homicídios em São Miguel dos Campos

1f9ed10eb56cd40cd992151d37066c7e_L
Sociedade alagoana acompanha os avanços iniciados em 2015 com a gestão do governador Renan Filho e o propósito da SSP é deixá-la a par de suas realidades. Dulce Melo

Em Alagoas, o Núcleo de Estatística e Análises Criminais (Neac) da Secretaria de Segurança  Pública (SSP) detectou que alguns municípios alagoanos há meses não apresentam dados violentos por crime de homicídio.

 

No Litoral Norte, a cidade de Japaratinga não consta nos índices crescentes há um ano e dois meses. No Litoral Sul é São Miguel dos Campos que registra tranquilidade há 63 dias. A capital, Maceió, apresenta percentuais positivos de combate há 15 meses.

 

Exibir queda nos números referentes a Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) em períodos alongados reforça a seriedade com a qual trabalham as forças policiais para distanciar cada vez mais o Estado de um quadro negativo dentro e fora do Brasil. A sociedade alagoana acompanha os avanços iniciados em 2015 com a gestão do governador Renan Filho e o propósito da SSP é deixá-la a par de suas realidades.

 

Como Japaratinga e São Miguel dos Campos, outros municípios também se sobressaem no declínio da violência. Em Minador do Negrão e Novo Lino não há, segundo o Neac, assassinatos desde janeiro do ano passado. Ouro Branco e Senador Rui Palmeira não registram crimes desde julho de 2015. Mar Vermelho, Roteiro e Tanque D’Arca desde agosto. Porto de Pedras está sem mortes violentas há sete meses. Olivença, Jundiá e Taquarana não têm homicídios desde outubro. Monteirópolis não têm registros desde novembro de 2015. Jacaré dos Homens, Jacuípe e Piranhas não somam nos números de assassinatos desde dezembro.

 

“Estes são alguns dos exemplos que temos para a sociedade. Nosso patamar mudou e o empenho é para que os dados de violência com mortes sejam cada vez mais minimizados em Alagoas, mesmo com a convicção de que as forças policiais serão provadas e provocadas pela ousadia dos criminosos todos os dias. Mas, nosso efetivo, em sua totalidade, sejam militares ou policiais civis nas ruas, o serviço de inteligência e também a perícia têm competência suficiente para dar respostas imediatas e precisas”, afirmou o secretário Lima Júnior.

Dulce Melo – Agência Alagoas

(Visited 1.224 times, 1 visits today)