Câmara no ABC cria manual de conduta e inclui até como deve ser aperto de mão

Para as mulheres o cuidado é com a cor do esmalte e batom, não mostrar o colo e as costas; homens devem combinar a meia com o sapato.

O presidente da Câmara de Vereadores de São Bernardo do Campo, Pery Cartola (PSDB), criou um manual de conduta para quem trabalha na casa. O documento determina padrões de moda e de comportamento. Ele inclui muitos detalhes de comportamento, alguns específicos para homens e mulheres, como forma de se vestir, cor de esmalte e até a forma como deve ser feito o aperto de mão.

A câmara está em recesso até o fim do mês, com poucos funcionários e muita gente talvez nem saiba do manual de conduta, que vai encontrar quando voltar ao trabalho preparado pelo novo presidente da casa.

Elas devem ter cuidado com rendas, babados, escolher esmaltes e batons em tons claros e não exibir o colo e as costas. Para os homens as regras pedem sejam evitadas meias claras com trajes escuros. O manual diz que o correto será meia combinando com a calça e o sapato.

Sobre a forma de cumprimentar as pessoas na câmara, o manual pede que o aperto de mão não deve ser mole ou tocando apenas com a ponta dos dedos, deve ser firme e com três “sacudidas compassadas”.

O sindicato dos servidores diz que há assuntos muito mais importantes que mereceriam atenção e que não dá pra levar a sério certas regras anunciadas. “O sindicato não pode aceitar esse tipo de cartilha. É uma coisa assim que beira o ridículo e deixa o funcionário desconfortável. Como é que ele vai saber se está adequado?”, disse José Rubens, do Sindicatos dos Servidores Públicos de São Bernardo do Campo.

Segundo o presidente da câmara, a intenção é padronizar e melhorar o atendimento. Ele reconhece que pode ter havido excessos em certos detalhes do manual, mas diz que nunca imaginou tanta polêmica e explica toda essa preocupação que ele tem com a estética, com a aparência dos funcionários.

“Para você não ter nenhuma servidora vestida como uma periguete, como uma mulher imprópria ao local de trabalho daquele horário específico”, disse Pery Cartola, presidente da Câmara dos Vereadores da cidade.

Cada vereador de São Bernardo ganha por mês R$ 15 mil.

g1

16/01/2017

(Visited 1 times, 1 visits today)