Corpo do ministro do STF Teori Zavascki é velado em Porto Alegre

Corpo chegou a Porto Alegre por volta das 7h20 da manhã deste sábado. Até as 11h a entrada foi permitida apenas para amigos e familiares.

O corpo do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki é velado desde as 9h deste sábado (21) na sede do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. A cerimônia foi aberta ao público às 11h. O sepultamento ocorrerá às 18h no Cemitério Jardim da Paz, também na capital gaúcha.

O corpo de Teori chegou à Base Aérea de Canoas, na Região Metropolitana, por volta de 7h20, e foi acompanhado em um cortejo com familaires, e também pela presidente do STF, Cármen Lúcia. Eles seguiram pela BR-116 até o tribunal, na região central da cidade. O velório teve início às 9h, mas em caráter privado, com a presença de personalidades jurídicas e pessoas mais próximas do ministro.

Entre os nomes presentes, estava o juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, e o relator de recursos da operação levados ao TRF-4, desembragador Gerbran Neto, além de políticos.

Herói
“Vim prestar homenagem ao ministro Teori Zavascki,  já me manifestei publicamente a respeito. Acredito que, pela qualidade, relevância e importância pelos serviços que ele prestava, e a situação difícil desses processos, pela importância desses processo, ele foi um verdadeiro herói. Há uma grande desolação da magistratura, todos que o conheciam, especialmente aqui da quarta região, onde ele fez carreira profissional”, disse Moro, que teve seu breve pronunciamento interrompido por conta de probelmas no microfone.

Metade dos ministros do Supremo deverá vir ao Rio Grande do Sul para o velório de Teori, que era relator da Lava Jato na Suprema Corte. O presidente Michel Temer também deve comparecer ao velório do ministro. O embarque estava previsto para às 11h, em Congonhas, São Paulo. A agenda oficial da presidência prevê que a chegada ao velório às 13h.

O ministro do STF morreu na quinta-feira (19), aos 68 anos, em um acidente aéreo no litoral do Rio de Janeiro. Viúvo desde 2013, Teori deixa três filhos. Ele se tornou ministro do STF em 2012 por indicação da então presidente da República, Dilma Rousseff.

g1

21/01/2017