Cunha acerta placar da comissão do impeachment em bolão

Deputados afirmam que não houve aposta de dinheiro

2016-901268602-201604071712416698.jpg_20160407-2
O presidente da Câmara acertou o resultado da Comissão do Impeachment em aposta com deputados – Givaldo Barbosa

Ao lado de aliados, como o ex-líder do PR, Maurício Quintella Lessa (AL) e Arthur Lira (PP-AL), o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), fez contas otimistas do aumento de apoio de integrantes das bancadas governistas a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff no plenário da Casa. E mostrando que ainda está afiado, venceu o bolão — segundo os deputados sem a aposta de dinheiro — cravando o resultado da comissão do impeachment, de 38 a 27 votos. Cunha acompanhou a votação de seu gabinete, na presidência da Câmara.

O relator do impeachment, deputado Jovair Arantes (PTB-GO)
Relator do impeachment comemora resultado de votação: ‘Saio como herói’
Deputados comemoram aprovação do parecer pelo impeachment da presidente Dilma na comissão especialComissão especial aprova parecer pelo impeachment da presidente Dilma
INFOGRÁFICOSaiba como votou cada deputado na comissão especial do impeachment
Para Cunha e os aliados, três movimentos justificam o otimismo em relação à votação no plenário: a decisão de Quintella de não ceder à pressão de Valdemar Costa Neto, presidente de fato do PR, e votar a favor do impeachment, o encontro entre Jorge Picciani e Michel Temer, que poderá reverter votos no Rio e o movimento do presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), de sinalizar a dificuldade de conter o ímpeto de parte da bancada de votar a favor do impeachment.

Para eles, o movimento de Quintella poderá ser seguido por outros 8 a 10 deputados da bancada, além dos 16 que já tinham se posicionado a favor do impeachment. O número, no entanto, é contestado por deputados do PR que apoiam o governo e garantem que pelo menos 17 deputados da bancada continuarão votando contra o impeachment. O PR tem 40 deputados.

No PP, o cálculo dos aliados do partido que apoiam Cunha afirmam que apenas 10 dos 51 da bancada se manteriam fiel, caso Ciro Nogueira libere mesmo a bancada. Em conversas com aliados, o líder Aguinaldo Ribeiro (PI) ainda falava em apoio de 20 a 25 deputados.

ISABEL BRAGA – O Globo