Dono de câmera perdida há um ano é achado após viral: Atitude exemplar

Equipamento foi perdido em fevereiro de 2016 em praia de Guarujá (SP). Fotos foram postadas nas redes sociais e caso acabou viralizando na web.

O mistério chegou ao fim. O engenheiro Luciano Rondon, 34 anos, é o dono da câmera fotográfica que estava perdida há quase um ano e foi encontrada por um morador de Guarujá, no litoral de São Paulo, em uma praia da cidade. Após repercussão da matéria publicada pelo G1 na última quarta-feira (18), diversas pessoas entraram em contato com a mulher que havia divulgado na internet as fotos salvas no cartão de memória da câmera. O verdadeiro proprietário, no entanto, ainda não está com o equipamento. Ele mora em São Paulo e só deve pegar a “câmera da sorte” na próxima semana.

Segundo Luisa Paiva, filha do homem que achou o objeto em meio às pedras na Praia de Iporanga durante uma caminhada no dia 9 de janeiro, o grande alcance da reportagem ajudou a localizar o dono até então desconhecido.

“A matéria publicada no G1 foi determinante. Algumas horas depois da publicação já havia recebido um monte de email e o dono apareceu”, revela Luisa, que também havia feito uma postagem no Facebook com um e-mail para que possível dono ou conhecido dele entrasse em contato.

Para Rondon, a atitude da família de Luisa em tentar encontrá-lo foi exemplar. “Isso é uma grande forma de mostrar que existem pessoas boas e exemplares. As fotos eu não tinha como recuperar. Não dava para voltar naquele momento e tirar de novo. E eu não perdi esses momentos que continuam ali gravados”, comemora o engenheiro, que disse ter sido acordado com várias mensagens de amigos dizendo que ele estava “famoso”.

O engenheiro conta também que morou em Brasília durante muito tempo e, por isso, conhece muitas pessoas, o que pode ter facilidado ‘as buscas’. Atualmente, ele está em São Paulo e, ao saber que tinha virado notícia, entrou em contato com Luisa para saber do equipamento e como resgatá-lo. “Já combinamos. Devo ir para o litoral na próxima semana e vou pegar com o pai dela”, falou.

Na mesma praia
Depois de tanto tempo e já desapegado do antigo xodó, Rondon afirma que não esperava mais ter as fotos e câmera de volta e ficou surpreso com história. “Eu tenho um apartamento em Guarujá e estava com minha irmã, que mora em Brasília. Resolvi levá-los na praia de Iporanga, que é mais distante e reservada. Entrei no mar para fotografar, mas a onda bateu e acabou levando a câmera. É curioso terem achado na mesma praia após vários meses. Será que ficou todo esse tempo na pedra?”, questiona.

Câmera da sorte
Chateado com o incidente, o engenheiro ganhou uma câmera semelhante e mais moderna da esposa, mas assim que colocar de volta as mãos na antiga parceira de selfies, já sabe exatamente o que vai fazer. “Vou guardar essa câmera bem guardadinha, porque ela vai ser a câmera da sorte, independente de eu ter outra, ela vai ficar bem guardada”, brinca.

Funcionando
O equipamento foi encontrado pelo pai de Luisa entre as pedras no canto da praia de Iporanga. Ele resolveu levar para casa para verificar se o aparelho ainda funcionava. A tentativa de ligá-la deu certo. No cartão de memória da câmera havia centenas de fotos dos turistas em praias de Guarujá. Já no computador, foi possível identificar que as imagens eram datadas de fevereiro de 2016. Em seguida, veio a ideia de tentar encontrar o dono. Mas como fazer isso?

“A primeira coisa que pensamos foi ver se tinha fotos. Alguém perdeu essa câmera. Ela não é nossa e tem vários momentos das pessoas. Como encontramos, tivemos a ideia de selecionar duas imagens para tentar achar o dono e compartilhamos no Facebook”, acrescenta Luisa, que tem familiares no litoral paulista, mas mora em Santa Catarina.

Além da publicação em uma rede social, Luisa também criou um e-mail específico para receber informações sobre a câmera. Foi justamente por esse contato, após a matéria ser publicada no G1, que ela ficou sabendo quem era o dono.

g1

19/01/2017