Festival Alagoas Feita à Mão abre espaço para novos nomes do artesanato

Que o Festival Alagoas Feita à Mão reúne nomes consagrados do artesanato alagoano todo mundo já sabe. Para conferir, basta ir ao Parque Shopping até este domingo (25), das 10h às 22h. O evento acontece na praça central.

Além de obras e peças de mestres como André da Marinheira, Arlindo Monteiro e Maria Severiano, também é possível conhecer e comprar de novos nomes do artesanato.

É o caso da artesã de Capela, de 17 anos, Jordany Laurentiano, que aprendeu o ofício com sua mãe, a ceramista Nena. Participando pela primeira vez de uma feira deste tipo, Jordany conta que junto dos artesãos de sua cidade, já conseguiu vender entre 15 a 20 peças nos três primeiros dias do evento.

“Para Capela está sendo maravilhosa a Feira, as pessoas perguntam sobre nossa arte e solicitam nosso contato. Isso é muito importante para divulgação de todo mundo!”, revela a artesã.

Outra participante do festival é a proprietária da empresa @d.e.m.o.d.e, Paola Limeira, 32 anos, que tem como características em suas peças a alagoanidade bordada em colares e quadros decorativos.

“O retorno das vendas está sendo muito positivo, como minhas peças remetem muito às características de Alagoas, estou me surpreendendo porque os próprios alagoanos estão comprando, mostrando como são apaixonados por nosso Estado e artesanato”, conta a empresária.

Já o artista do bairro do Jaraguá Robert Barbosa, de 33 anos, utiliza máquinas como serras para dar formas a pedras, que quase sempre viram pássaros e outros animais. Vendendo obras de variados tamanhos, ele conta que colares e miniaturas têm feito sucesso entre os visitantes da feira. “As pessoas gostam muito das peças menores. Além das vendas que estão ótimas, é bastante gratificante estar aqui e poder divulgar meu trabalho”, revela Robert.

O Festival apresenta ainda novos nomes como o de José Firmo, artesão de Fernão Velho, que utiliza materiais descartáveis como baterias, latas, garrafas para transformá-los em pássaros. Já Marcos tem os galhos secos como matéria-prima para confeccionar arranjos e apoios de mesa. Ainda é possível encontrar peças do Grupo Crochê.

A participação do Mestre Aberaldo, da Ilha do Ferro, é outra grande novidade do Festival, que pela primeira vez participa de um evento do Alagoas Feita à Mão.

O festival

O evento reúne 40 artesãos de várias regiões de Alagoas. Voltado para exposição e comercialização, os transeuntes do shopping podem conhecer a diversidade do artesanato alagoano. Lá é possível encontrar peças e obras nas mais diferentes tipologias como fios e tecidos, barro, madeira e fibras vegetais.

Ascom – 24/03/2018

(Visited 1 times, 1 visits today)