PM entra em Alcaçuz para erguer muro de contêineres e separar presos

Segundo o governo, ação é paliativa até que muro definitivo seja construído. Presídio está com presos rebelados há 7 dias; pelo menos 26 já morreram.

A Polícia Militar entrou na Penitenciária Estadual de Alcaçuz por volta das 10h50 (horário de Brasília) deste sábado (21) para erguer um ‘muro’ de contêineres. O objetivo é separar presos de duas facções que estão rebelados e se confrontando há sete dias dentro do presídio – o maior do Rio Grande do Norte. Alcaçuz fica em Nísia Floresta, cidade da Grande Natal.

No fim de semana passado, durante a invasão de um pavilhão, pelo menos 26 detentos foram mortos. Na quinta (19), após novo enfrentamento, muitos presos ficaram feridos. A PM confirma que há novos mortos dentro da unidade.

Participam da ação o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Batalhão de Choque (BPChoque) e Grupo de Operações Especiais (GOE). O helicóptero Potiguar 1, aeronave da Secretaria de Segurança Pública, também está sobrevoando Alcaçuz. No início da operação, os policiais chegaram a usar bomba de efeito moral para evitar qualquer reação dos presos.

A barreira a ser montada com contêineres, segundo o governo, é uma medida paliativa até que um muro definitivo seja contruído dividindo os pavilhões 1, 2 e 3 (ocupados por membros do Sindicato do RN) dos pavilheõs 4 e 5 (dominados pelo PCC).

g1

21/01/2017