Polícia Civil encontra corpo de mototaxista desaparecido

O delegado Robervaldo Davino, titular do 6° Distrito da Capital, informou haver esclarecido o desaparecimento do mototaxista Genaldo da Silva Santos, de 34 anos, que sumiu após fazer uma corrida no início da manhã do dia 6 de março, com início à porta do Colégio Adventista, no Barro Duro, parte alta da capital, onde fazia ponto.

O corpo do mototaxista, já em adiantado estado de decomposição, foi encontrado na manhã desta quinta-feira (22) em um canavial, em terras da usina Cachoeira do Meirim, na região do Benedito Bentes.

O suspeito do crime, identificado como Ivanildo Acioli de Mendonça, de 37 anos, foi quem levou a polícia até o local do achado. Além do cadáver, também foram encontrados um celular, a jaqueta e a motocicleta da vítima, e ainda a arma usada na prática do crime, uma espingarda de fabricação caseira.

Ivanildo Acioli foi interrogado em companhia de seus advogados, e confessou como assassinou o mototaxista, que conhecia há muitos anos e morava próximo a sua casa, no Barro Duro.

Ele contou que contratou a corrida sob a alegação de que iria fazer uma caçada na região da Cachoeira do Meirim. O mototaxista não teria desconfiado de nada, pois sabia que o suspeito gostava de caçar.

Vídeos conseguidos pela polícia mostram o momento em que acusado e vítima conversam para acertar a corrida. Inicialmente, o mototaxista teria dito que não podia acertá-la porque já havia contratado uma viagem com outra pessoa. Antes disso, ainda levou o filho na escola, conforme mostram as imagens.

Somente uma hora depois, ele retorna ao local para apanhar o suspeito e os dois seguem, na moto, pela Avenida Menino Marcelo (Via Expressa) em direção a parte alta da cidade.

Pela versão de Ivanildo, quando os dois chegaram ao canavial, onde seria feita a suposta caçada, houve uma discussão. Foi nesse momento que ele pegou a arma artesanal e praticou o crime, deixando a moto, documentos e até o celular da vítima ali, fugindo em seguida.

“Viemos até o local apontado pelo suspeito e encontramos o corpo que deve ser do Genaldo. Mas, o cadáver está irreconhecível”, afirmou o delegado, que vai trabalhar para confirmar a identificação do corpo que será levado para o Instituto Médico Legal (IML). O delegado acionou também o Instituto de Criminalísta (IC) para a realização de perícias.

O suspeito contou ainda que o motivo do crime teria sido passional. Ele teria sabido que Genaldo estaria assediando sua esposa, e por isso resolveu praticar o assassinato.

Para o delegado Robervaldo Davino, o crime está esclarecido. Ele agora deverá concluir o inquérito e enviá-lo à Justiça.

Ascom – 22/03/2018

(Visited 1 times, 1 visits today)