Preços acessíveis incentivam a chegada de turistas a AL nesta alta temporada

Pesquisa revela que valores de produtos típicos do verão são mais baratos no Estado

Preços justos é um fator crucial para cativar o turista e fazê-lo retornar em outra oportunidadeMarcel Leite e Jonathan Lins

Alagoas, além das paisagens deslumbrantes, tem apresentado preços mais acessíveis nesta alta temporada, quando comparado ao restante do país. De acordo com o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), levantamento feito pela Secretaria do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), alimentos e produtos típicos do verão (água de coco, água mineral, protetor solar, etc.) apresentaram uma queda de 6,88%, na comparação com mesmo período do ano passado, ficando abaixo da média nacional, que é de 6,29%.

Segundo o superintendente de Turismo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), Paulo Kugelmas, manter preços justos é um fator crucial para cativar o turista e fazê-lo retornar em outra oportunidade.

“Buscamos sempre conscientizar os comerciantes e prestadores de serviço a não apresentarem valores abusivos, incentivamos que cobrem os preços justos. Nosso interesse não é apenas gerar renda neste período, é também conquistar o turista para que ele indique Alagoas a amigos e que volte futuramente. Estarmos abaixo da média nacional de preços nos coloca em um posto de destaque, que é bastante considerado no momento em que o visitante escolhe onde passar as férias.”, afirmou Kugelmas.

A professora Luciene Pereira e o analista de sistemas Carlos Pereira vieram da cidade de Hortolândia (SP) e estão pela primeira vez no Nordeste. Para eles, os preços acessíveis são um atrativo a mais de Alagoas. “Não conhecíamos Alagoas, nem o Nordeste. Estamos bastante satisfeitos com o atendimento e com os valores cobrados. Pretendemos voltar outras vezes e com certeza indicaremos a amigos e familiares”, revelou Luciene.

O guia de turismo Wellington da Silva afirma que o custo baixo atrai os visitantes e faz com que as praias alagoanas permaneçam mais movimentadas por mais tempo.

 

“É muito importante que não se explore o turista. Isso faz com que ele retorne depois e que mantenha as cidades sempre cheias. Desde o começo do verão, estamos recebendo muitos visitantes, o que é bom para nós e para o Estado como um todo. Esperamos manter esse movimento até o Carnaval”, disse.

O IPC tem como base a Pesquisa de Orçamento Familiar (POF), elaborada e disponibilizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ascom