Promotor pede interdição do Presídio Regional de Bagé após rebelião

Prédio tem quatro galerias, dois pátios e 51 celas, e está danificado.
Justiça aceitou pedido e interditou a estrutura parcialmente.

Em meio à crise no sistema carcerário, a Promotoria de Justiça de Bagé pediu a interdição do Presídio Regional da cidade, localizado na Região da Campanha, por causa das condições estruturais do prédio. Depois da rebelião ocorrida no dia 21 de dezembro, toda a estrutura ficou comprometida.

A Justiça aceitou o pedido e decidiu pela interdição parcial. Agora a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) tem 15 dias pra transferir 150 presos pra outros presídios no estado. A entrada de novos detentos também está suspensa.

O prédio tem quatro galerias, dois pátios e 51 celas. Os presos quebraram telhas, arrebentaram grades e portas e queimaram colchões.

Os prejuízos são muitos. Um dos cinco postos de vigilância ficou destruído. A rede hidráulica está danificada, e a elétrica, exposta. Assim, quando chove, ela precisa ser desligada para evitar acidentes.

A Promotoria de Justiça alega que o presídio não tem condições estruturais para continuar aberto, e diz que a condição atual traz risco para a segurança dos presos e até de quem vive na região, já que aumentariam as chances de fuga. Por isso, o promotor Roberto Bayard Fernandes Figueiro pediu a interdição total ou parcial até que ocorra uma reforma no local.

Atualmente 340 presos estão no local, quando a capacidade é para 260. Mesmo em condições precárias, as visitas foram mantidas.

“A gente tenta estabelecer as condições mínimas de segurança. É obvio que com os danos estruturais que ocorreram, a parte do telhado danificada, a rede elétrica exposta, existe um risco, mínimo, mas existe”, pondera o diretor do Presídio Regional de Bagé, José Carlos Nobre.

O governo do estado disse que um levantamento dos estragos já foi feito e que os orçamentos para a reforma devem ser encaminhados ainda nesta semana para a Susepe. Já a Susepe informou que aguarda os dados técnicos completos da coordenadoria de obras para dar início aos serviços de reforma do telhado e da rede elétrica.

g1

10/01/2017