Renan Filho afirma que denúncia de agentes contra juiz deve ser apurada

Sindicato denuncia relação de filho de Braga Neto com facções criminosas. Magistrado diz que denúncia é ‘revanche’ pelo combate a irregularidades.

O governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), disse nesta terça-feira (10) que a denúncia do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Alagoas (SINDAPEN-AL) sugerindo um envolvimento do advogado Hugo Soares Braga, filho do juiz da 16ª Vara de Execuções Penais, José Braga Neto, com integrantes de facções criminosas presos em penitenciárias do estado deve ser investigada.

A denúncia foi passada à imprensa pelo presidente do sindicato, Kleyton Anderson, durante entrevista coletiva nesta segunda-feira (9). Segundo ele, o parentesco acarreta em favorecimento a presos perigosos.

“Denúncia tem que ser investigada. Eu acho que os agentes penitenciários cumprem um papel importante na manutenção da sustentabilidade do sistema prisional e o juiz de execuções penais, José Braga Neto, tem um trabalho exemplar em Alagoas. É um juiz dedicado que trabalha muito”, disse o governador.

Para Renan Filho, um desentendimento entre os agentes e o magistrado não é bom para o estado. “Eu tenho defendido sempre que a estabilidade que tem o estado de Alagoas tem ajudado muito para que possamos avançar nessa crise”, observou, ao comentar que o momento atual é de união no sistema prisional.

O governador citou a rebelião que deixou 56 mortos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, no último dia 1º, e a da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, a maior de Roraima, na madrugada de sexta-feira (6).

“Veja o que aconteceu em Manaus, veja o que aconteceu também no estado de Roraima. Houve ali uma grande rebelião, fuga e também violência dentro do presídio. Portanto a serenidade e o ponto chave nesse momento”, comentou.

Para evitar que essas situações aconteçam, Renan Filho disse que líderes de facções criminosas já foram isolados no sistema prisional de Alagoas. “Desde o dia que ocorreu em Manaus, nós iniciamos uma série de revistas em todos os presídios. Os líderes de facções criminosas estão isolados por organização, grau de periculosidade, de maneira que estamos trabalhando e nos próximos dois meses vamos entregar um novo presídio para fortalecer o sistema prisional”, disse.

Sobre a denúncia do SINDAPEN, o G1 tentou falar com Hugo S. Braga, mas ele não atendeu às ligações. O juiz Braga Neto informou à reportagem por telefone, após a apresentação da denúncia pelo sindicato, que ela é uma espécie de revanche pela atuação dele no combate às irregularidades dentro dos presídios.

Segundo o sindicato, há vários registros no livro de visitas do sistema prisional da presença de Hugo Braga. O presidente do Sindapen reforça que o filho do magistrado atendeu a vários clientes nos anos de 2015 e 2016.

Braga Neto afirma que o fillho, o advogado Hugo Braga, tem clientes no sistema prisional como qualquer outro advogado, e que isso não interfere na Justiça. O magistrado disse ainda que vai processar o presidente e o sindicato.

g1

10/01/2017