Usuários da Apple são vítimas de ataque virtual que sequestra arquivos

Esta é a primeira vez que computadores da Apple registram um ataque virtual do tipo

apple-reuters

Usuários de computadores da Apple que se acham imunes aos ataques de hackers devem repensar as suas definições de segurança. No último final de semana, clientes da marca foram alvos de cibercriminosos,  na primeira campanha digital voltada aos usuários de Macintosh. De acordo com os pesquisadores da Palo Alto Networks, que divulgaram as informações no domingo, 6, o software maligno utilizado foi o “ransomware”, que exige pagamento virtual das vítimas após “sequestro” de arquivos.

O “ransomware” é uma das ameaças virtuais que mais crescem no últimos tempos. Ele criptografa dados em máquinas infectadas e depois pede que os usuários paguem uma quantia em moedas digitais, que são de difícil rastreamento. Só depois o cibercriminoso faz a liberação dos arquivos “sequestrados”.

Especialistas em segurança digital estimam que crimes com o chamado “ransomware” arrecadam centenas de milhões de dólares ao ano, tendo como alvo em sua maioria usuários do sistema operacional Windows, da Microsoft.

Segundo o diretor de inteligência de ameaças virtuais da Palo Alto, Ryan Olson, o ataque com o malware  foi o primeiro a atingir o sistema de computadores da Apple.

“É o primeiro que é definitivamente efetivo, criptografa os arquivos e pede uma quantia para resgate”, disse Olson em entrevista por telefone.

Um representante da Apple afirmou que a empresa tomou iniciativas neste fim de semana para prevenir os ataques, revogando um certificado digital de um desenvolvedor da Apple que permitia a instalação do software malicioso em Macs. O representante disse que não poderia dar mais detalhes no momento.

O malware é programado para criptografar arquivos em um computador infectado três dias após a infecção original, segundo Olson.

Isso significa que se os procedimentos da Apple forem ineficazes na tentativa de neutralizar o malware que já se espalhou por computadores Macs, as primeiras vítimas terão seus arquivos criptografados na segunda-feira, três dias depois do programa malicioso aparecer pela primeira vez.

REUTERS

(Visited 36 times, 1 visits today)